Entenda como funciona um software de acesso remoto

Há alguns anos, o acesso remoto era um recurso que as empresas disponibilizavam por meio de modems de discagem. Como forma de evitar custos com ligações interurbanas, as instituições começaram a aderir a opções que utilizassem as redes públicas da web.

A partir disso, a evolução dos sistemas de internet levou a um avanço paralelo na tecnologia de software de acesso remoto, com alternativas mais seguras e flexíveis. Quer saber mais sobre o assunto? Confira o nosso artigo de hoje!

O que é acesso remoto?

A tecnologia de acesso remoto permite que um computador acesse um servidor privado — geralmente de uma instituição — por meio de um dispositivo que não esteja fisicamente conectado a essa rede. Essa conexão à distância é feita de forma segura nas duas pontas e pode proporcionar vários benefícios, como, por exemplo, para o gerenciamento de dados.

Na prática, essa tecnologia permite que o usuário se conecte à rede corporativa e acesse recursos como serviços internos, e-mails e documentos da empresa, mesmo estando fora do local de trabalho. Além disso, é possível fazer o compartilhamento de tela do PC.

Esse é um recurso útil em palestras ou aulas a distância, fazendo com que o receptor possa visualizar exatamente o que é apresentado na tela principal e, em alguns casos, editar itens, por meios de autorização prévia no computador.

O recurso de acesso remoto também pode servir para controlar PCs domésticos. O uso mais comum para essa questão é para suporte técnico de sistemas, visto que o técnico pode visualizar e pedir permissão para gerenciar o equipamento sem que, para isso, esteja no mesmo local.

Ao utilizar ferramentas corretas, pode-se ter acesso a computadores com qualquer sistema operacional, qualquer rede e a partir de diversos dispositivos.

Como funciona um software de acesso remoto?

O método mais comum para utilizar o acesso remoto é através de uma VPN (Virtual Private Network). Essa rede privada estabelece uma conexão direta entre o computador e o servidor destinatário, criando algo semelhante a um túnel protegido na internet.

Isso quer dizer que o usuário pode acessar arquivos, e-mails empresariais e sistemas online sem se preocupar com interceptações de administradores de outras redes no meio do processo. Uma VPN pode ser criada de duas maneiras diferentes: Por meio do protocolo SSL ou via softwares.

Na primeira alternativa, a conexão pode ser criada utilizando apenas um navegador web e um serviço em nuvem. Entretanto, ela não terá o mesmo nível de velocidade e segurança existente em softwares desktop.

Já na segunda opção, é preciso um programa que use protocolo IPseg para que a conexão direta entre os dois dispositivos ocorra. Nesse caso, a ligação tende a ser mais rápida e a segurança aprimorada. Essa é a forma mais comum de acesso remoto.

A seguir, explicaremos um pouco mais a respeito do funcionamento desse recurso em algumas plataformas. Continue acompanhando!

Microsoft Windows

O Windows utiliza a tecnologia “Remote Desktop Connection” para realizar essas conexões. Essa funcionalidade permite conectar computadores diretamente em conjunto e trabalhar com o ambiente corporativo em seu próprio computador pessoal.

A respeito da tecnologia usada na renderização gráfica, a Microsoft diz que, no servidor, o RDP usa seu próprio driver de vídeo para renderizar a saída de exibição, construindo os dados de renderização em pacotes por meio do protocolo RDP e enviando-os através da rede para o cliente.

No cliente, o RDP recebe os dados de processamento e interpreta os pacotes em correspondentes chamados de API de Interface Gráfica do Dispositivo (GDI), do próprio Windows.

Para o método de entrada, os eventos de mouse e teclado do cliente são redirecionados do dele para o servidor. No servidor, o RDP usa o seu próprio driver de mouse e teclado para receber esses eventos.

Sistemas Apple

A Apple possui uma solução proprietária, chamada de Apple Remote Desktop. A primeira versão do ARD, lançada em março de 2002, foi baseada no protocolo UDP e usando a porta 3283, o que permitiu reiniciar ou desligar os computadores, bloquear a área de trabalho do computador e acordá-lo do sono remotamente.

Sua atual versão é a 3.8 e oferece suporte à criptografia AES de 128 bits, além de permitir o controle de dispositivos habilitados com Computação por Rede Virtual (VNC), incluindo sistemas Windows, Linux e UNIX. Atualmente o Apple Remote Desktop é baseado no protocolo ARD, fazendo com que o UDP seja parte do passado do software.

Área de trabalho remota baseada em computação em nuvem

Nesse método, a principal diferença em relação à conexão direta é que entre o navegador do cliente e o computador servidor, o data center do provedor de serviço comprime os dados transmitidos e, finalmente, permite a transferência mais veloz dos dados entre as máquinas.

Todos os softwares de acesso remoto utilizam um protocolo proprietário que é transmitido via SSL/TLS, onde são criados certificados SSL para cada conexão de área de trabalho remota.

Quais são as ferramentas disponíveis?

Alguns sistemas disponibilizam funções de acesso remoto de forma nativa. No Windows, por exemplo, existe suporte nas versões Professional, Enterprise e Ultimate. Já no MacOS, o Apple Remote Desktop é capaz de lidar com essa demanda. Também existem alternativas para Linux.

Quanto às versões web, há alternativas gratuitas disponíveis — como é o caso do Screenleap, do SkyFex e outros. É necessário criar uma conta para utilizar alguns dos serviços. Em seguida, basta que os dois equipamentos entrem no serviço de acesso remoto para que tudo seja habilitado.

Também existe a possibilidade de enviar um convite para o PC que será controlado, antes de iniciar a conexão. Os programas específicos para VPN são usados com mais frequência.

Softwares como LogMeIn   (disponível para Windows e MacOS) , TeamViewerou ainda o Real VNC devem ser instalados nas duas máquinas — tanto na que controlará quanto na que será controlada, também chamadas de host e client, respectivamente.

A ligação é feita automaticamente depois de serem dadas as permissões necessárias. Também vale lembrar que, em alguns casos, senhas e endereço IP podem ser requeridos para realizar o login.

Posso me conectar usando dispositivos móveis?

Com a popularização dos smartphones e dos tablets, o acesso remoto tem sido bastante usado também nos gadgets móveis. Utilizando softwares em computadores com Windows ou MacOS e um aplicativo de host nos dispositivos móveis, pode-se visualizar tudo o que ocorre no computador e também passar comandos como desligar, bloquear e reiniciar.

LogMeIn e TeamViewer são exemplos de aplicativos com versões para Android e iOS, com funções completas de acesso e controle remoto a desktops. O usuário também pode cadastrar vários PCs e controlá-los a partir de qualquer lugar por meio de Wi-Fi ou, ainda, redes 3G e 4G.

E então? Gostou do nosso artigo sobre software de acesso remoto e quer estar sempre por dentro de assuntos como esse? Assine já a nossa newsletter e mantenha-se sempre informado!

Sobre Lucas Egea

Lucas Egea

Jovem de 27 anos, estudante de engenharia elétrica, tem como hobbye designer gráfico e publicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *